• SHOPPING CENTER NÃO É A SUA CASA
    Há 10 Meses - POR ANA FRANCO


    Foi-se o tempo em que a vida nas cidades girava em torno da praça da Matriz.
    Na pracinha em frente a igreja, os casais namoravam, as crianças brincavam, as fofoqueiras observavam a vida dos outros e lá pelas tantas os bêbados dormiam nos bancos.

    Os tempos mudaram e a pracinha virou o Shopping Center, o lugar onde as pessoas namoram, encontram os amigos, passeiam.
    Porém, também sinal dos tempos, o que se tem visto ultimamente é um certo abuso no uso desse espaço público.
    Parece que as pessoas relaxaram no comportamento e se sentem tão à vontade que agem como se estivessem em suas casas. 
    O mesmo se tem verificado em outros lugares públicos como aeroportos e rodoviárias.
    Cada um faz o que quer. Tem gente dormindo pelos bancos, tem gente namorando como se estivesse dentro do seu quarto, absurdamente
    à vontade.

    Infelizmente no Brasil ainda se tem o mau hábito de julgar as pessoas pela forma como estão vestidas. O resultado disso é que quem gosta de andar mais à vontade ou faz um estilo mais casual é observado de cima a baixo por vendedoras que pré julgam o cliente.
    Por outro lado há clientes que acham que podem tudo e tratam os vendedores sem o menor respeito.

    “Pera lá”! boa educação e boas maneiras são princípios básicos em qualquer país civilizado. Vendedores e clientes deveriam praticar isso no dia a dia e copiar o modelo de civilidade dos países do primeiro mundo.
    Já que o que nos resta atualmente são as praças de alimentação e os corredores dos shoppings, que tal mudar de atitude e praticar o respeito e a consideração com os outros, é assim que cresce uma nação, com civilidade.

    Post Relacionados

    AFTERNOON TEA OU HIGH TEA?

    TRADIÇÃO DE SERVIR BOLO






Mais vistos

HISTORIA DA ETIQUETA
há 2 anos
QUANDO O CONVIDADO PAGA A SUA DESPESA NA FESTA
há 1 ano
COMO SERVIR CAFÉ
há 2 anos